IBGE

Dados divulgados pelo IBGE mostra que 1,3 milhão de piauienses estão abaixo da linha da pobreza

Nessa parcela estão os habitantes que possuem rendimento a US$ 5,50 por dia, o que equivale a menos de R$ 420 per capita por mês.

06/11/2019 15h28Atualizado há 2 semanas
Por: Redação Portal SRN
Fonte: Jornal O Dia
1,3 milhões de piauienses estão abaixo da linha da pobreza (Foto: Arquivo/O Dia)
1,3 milhões de piauienses estão abaixo da linha da pobreza (Foto: Arquivo/O Dia)

Pela definição do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), a definição de pobreza remete a privação do bem-estar da população, a partir da exclusão de uma parcela de indivíduos do acesso a políticas públicas que garantam moradia, educação, alimentação adequada e acesso a oportunidades. No Piauí, mais de 1,3 milhões de pessoas estão incluídos nesse grupo. 

Dados divulgados na Síntese de Indicadores Sociais (SIS) do IBGE apontam que 41,9% da população piauiense está abaixo da linha da pobreza. Nessa parcela estão os habitantes que possuem rendimento a US$ 5,50 por dia, o que equivale a menos de R$ 420 per capita por mês. Já as pessoas em situação de extrema pobreza, com renda per capita inferior a R$ 145 mensais, ou U$S 1,9 por dia, é de 462 mil habitantes, correspondente a 14,2% da população.

Em relação a 2014, o relatório mostra um aumento de 80 mil pessoas na linha de corte que diferencia pobres e não pobres, quando 39,9% da população piauiense, ou 1,2 milhões de pessoas, estavam em situação de pobreza. No mesmo ano, 299 mil habitantes recebiam rendimentos inferiores a R$ 145 mensais.

Vale ressaltar que segundo o levantamento, 86,7% das pessoas com menores rendimentos são pretas ou pardas, demonstrando que essa população ainda enfrenta obstáculos para conseguir sair do cenário de vulnerabilidade social historicamente construído, o que pode ser revertido a partir de ações afirmativas.

Teresina

Em Teresina, o índice de pessoas em situação de pobreza é menor, no entanto, ainda alarmante. Em 2018, 29,3% da população estava abaixo da linha da pobreza. Ao todo, são 252 mil pessoas recebendo valores que as vão impedir de participar plenamente em sociedade, o que se traduz, por exemplo, em dificuldades para comprar alimentos, despesas de habitação, transporte, etc. O cenário é ainda pior para 5,3% população teresinense que está abaixo da linha da extrema pobreza, o que equivale a 45 mil habitantes.

Se comparado com o ano de 2014, o número de pessoas abaixo da linha de extrema pobreza aumento mais que sete vezes. Na época, seis mil habitantes se encontram na linha de extrema pobreza, enquanto o total de pessoas com rendimentos de R$ 420 per capita por mês era de 168 mil.

Municípios
Últimas notícias
Banner lateral interna posição 3
Mais lidas
Adsense lateral interna posição 5