Segunda, 27 de Junho de 2022
23°

Poucas nuvens

São Raimundo Nonato - PI

Dólar
R$ 5,24
Euro
R$ 5,53
Peso Arg.
R$ 0,04
Piauí Piauí

Promotor investiga patrocínio de R$ 8 milhões da Secult-PI a filme

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult-PI) informou que até o presente momento não foi notificada sobre o assunto.

23/05/2022 às 07h46 Atualizada em 23/05/2022 às 07h52
Por: Portal SRN Fonte: Vi Agora / Edição: Portal SRN
Compartilhe:
Promotor Francisco Jesus Lima - (Foto: Divulgação/MPPI)
Promotor Francisco Jesus Lima - (Foto: Divulgação/MPPI)

O promotor de Justiça, Francisco de Jesus Lima, informou ao site Vi Agora que irá instaurar procedimento administrativo com o objetivo de investigar o patrocínio de R$ 8.275.650,00 (oito milhões, duzentos e setenta e cinco mil, seiscentos e cinquenta reais) da Secretaria de Estado da Cultura do Piauí (Secult), ao longa metragem ‘Drama Mandu Ladino’.

O filme será gravado em locais pelo Piauí, com base de produção instalada na capital do Estado, Teresina, com destaque também as locações na região do Parque Nacional das Sete Cidades e o Delta do Parnaíba.

O ex-governador Wellington Dias concedeu a liberação do orçamento em despacho no dia 16 de outubro de 2021. O pagamento será realizado com uma primeira entrada no valor de R$ 1,5 milhão e o restante, R$ 6,7 milhões, divido em oito parcelas.

O representante do Ministério Público do Piauí (MPPI), explicou que o procedimento é necessário para apurar a necessidade do valor aplicado utilizado na produção do filme e os interessados no processo serão notificados sobre o procedimento.

“São valores elevadíssimos nós precisamos saber o porquê de um valor tão elevado, precisamos saber mais detalhes, abriremos sim o procedimento e serão notificados os interessados para justificarem todo esse processo, inclusive porque a escolha dessa produtora”, explica o promotor.

Ainda sobre o assunto, o promotor afirma: “No primeiro vamos instaurar o procedimento administrativo que poderá ser transformado em uma notícia de fato e posteriormente inquérito civil e até ação civil pública, então inicialmente o procedimento administrativo será instaurado”, pontua Francisco de Jesus.

Enquete