Segunda, 27 de Junho de 2022
25°

Poucas nuvens

São Raimundo Nonato - PI

Dólar
R$ 5,24
Euro
R$ 5,53
Peso Arg.
R$ 0,04
Saúde Saúde

Mais de 780 mil pessoas estão em atraso com a terceira dose da vacina contra a covid-19

No estado a vacinação para o reforço está liberada para toda população

20/05/2022 às 16h11
Por: Portal SRN Fonte: Portal SRN
Compartilhe:
Imagem: reprodução
Imagem: reprodução

O último levantamento da FioCruz, até 18 de abril, apontou que 783.848 pessoas no Piauí, estavam atrasadas para receber a terceira dose da vacina contra a covid-19. O secretário de Estado da Saúde, Neris Júnior, faz um alerta aos piauienses para que cumpram o cronograma de imunização. 

“Já está comprovado cientificamente a importância da dose de reforço para proteger contra o vírus, que causa Covid-19, e suas variantes. Por isso chamamos todos os piauienses, que estão no prazo ou atrasados para tomar suas doses, que procurem os postos de saúde de seus municípios e tomem seus imunizantes”, reitera Neris Júnior. 

No estado a vacinação para o reforço está liberada para toda população acima de 18 anos. Aqueles que receberam a terceira dose poderão também tomar a quarta dose dos imunizantes, para isto basta está com quatro meses ou mais da terceira aplicação. 

Entre a população do Piauí elegível para receber as vacinas contra a Covid-19 – indivíduos acima de 05 anos- 67,35%  já tomou sua terceira dose, o que equivale a 1.587.679 pessoas. “Sabemos que quanto mais nosso povo estiver com a imunização reforçada, mais rápido chegaremos ao fim desta pandemia”, lembra o gestor. 

A vacina das nossas crianças contra o coronavírus também segue avançando já são 284.185 vacinados com a primeira dose e 190.654 com a segunda dose. O secretário Neris Júnior pede aos pais e responsáveis, que ainda não levaram suas crianças para receber as vacinas, que vá aos postos de saúde e imunizem seus pequenos. “A vacina é segura e essencial para proteger nossas crianças e está liberada para todos acima de 05 anos. E pedimos mais uma vez, levem seus filhos para tomarem as vacinas”.

Enquete