Segunda, 27 de Junho de 2022
23°

Poucas nuvens

São Raimundo Nonato - PI

Dólar
R$ 5,24
Euro
R$ 5,53
Peso Arg.
R$ 0,04
Saúde Saúde

Casos de dengue aumentam 610% no Piauí, aponta Sesapi

Segundo a Sesapi, já foram registrados cerca de 4.617 casos prováveis de dengue em 150 municípios do estado no ano de 2022

22/04/2022 às 09h12
Por: Weslley Moreira Fonte: Porta SRN, com informações da Sesapi
Compartilhe:
Imagem: reprodução
Imagem: reprodução

A Secretaria de Saúde do Estado (Sesapi) divulgou nessa quarta-feira (20) boletim que mostra aumento de 610,3% de caos de dengue em 2022, em relação a 2021. Os casos de Chikungunya também tiveram uma elevação no número em relação ao ano anterior, o aumento foi de 4.179,3%.

Segundo a Sesapi, já foram registrados cerca de 4.617 casos prováveis de dengue em 150 municípios do estado no ano de 2022. Em 2021, foram contabilizados 650 casos em 56 cidades. Os municipios que apresentaram mais casos de dengue foram; Simplício Mendes; Patos do Piauí; Novo Santo Antônio; São Pedro do Piauí e Santa Filomena.

Segundo o secretário de estado de saúde, Neris Júnior, são registados aumentos nos casos da doença toda semana. “Nós estamos registrando a cada semana um aumento de número de casos de dengue, o que demonstra a necessidade de termos mais empenho na prevenção de novos casos. Nossas equipes estão mantendo contato com os municípios e traçando estratégias para buscar a redução de casos, mas é necessário um apoio da população para que nosso trabalho seja ainda mais efetivo”, disse o secretário.  

Neris Júnior também relembra que já foram registrados dois óbitos causados pela dengue e há mais dois em investigação, ele ressalta que a população não deve se descuidar. “Nossos sistemas já registraram dois óbitos por dengue este ano no Piauí, temos mais dois casos em investigação. A população precisa entender que não pode negligenciar os cuidados contra a dengue, em suas casas evitem manter locais que possam acumular água parada, ajudando assim a evitar o aumento da população de mosquitos. Somente com esse trabalho em conjunto da população com o poder público, eliminando os mosquitos e evitando o aumento do número de vetores que poderemos reverter esse quadro de aumento de casos” fala o gestor.

De acordo com informações divulgadas pela Sesapi, a secretaria está em contato com os municípios que registram aumentos para criar estratégias para o combate a proliferação do mosquito Aedes aegypti e consequentemente os casos de dengue, como por exemplo o uso do carro fumacê. O supervisor de entomologia da Sesapi, Ocimar Alencar, destaca que a melhor maneira de combater o mosquito é evitar que ele nasça, e que a ajuda da população é essencial. “Identificamos que mais de 80% dos criadouros dos mosquitos estão localizados em ambientes domiciliares. Precisamos que a população nos ajude, fazendo essa vistoria em casa e evitando que aquele local proporcione algum ambiente favorável para o mosquito colocar seus ovos. Reduzindo a população do vetor da doença, consequentemente teremos uma melhor resposta para a redução de casos”, fala o supervisor.

Enquete