Terça, 01 de Dezembro de 2020 09:37
86 98195-2377
Política Eleições em Pauta

Prefeito de Várzea Branca é acusado de agredir mulher por negar voto, diz jornalista

De acordo com Eloisa da Silva, Idevaldo Ribeiro ficou a acusando de ter arrancado as fotos de Clayton Fábio.

24/10/2020 16h16
Por: Redação Fonte: Efrém Ribeiro / Meio Norte
Imagem: reprodução
Imagem: reprodução

A jovem Eloisa da Silva Santos, de 24 anos, prestou queixa na Delegacia de Defesa dos Direitos da Mulher de São Raimundo Nonato contra o prefeito do município de Várzea Branca, na região Sul do Piauí, Idevaldo Ribeiro da Silva , o Cuim, por suposta agressão física contra ela por se recusar em votar para prefeito nas eleições municipais de 15 de novembro, no candidato que apoia para a Prefeitura Municipal, seu sobrinho, Clayton Fábio. As informações são do Portal Meio Norte.

Eloisa da Silva relatou, no Boletim de Ocorrência (BO), registrado na Delegacia de Defesa dos Direitos da Mulher de São Raimundo Nonato, que estava na casa de sua irmã e vizinha, Regiane da Silva Santos, no povoado Monte Alegre, na zona Norte do município de Várzea Branca, quando foi receber o prefeito Idevaldo Ribeiro e a primeira-dama, Francilene de Oliveira Santos, que chegaram em um carro.

Segundo Eloisa da Silva, o prefeito Idevaldo Ribeiro foi chegando na casa de sua irmã com tom alterado e perguntando porque não estavam na fachada da residência as "fotos" (cartazes de propaganda política para a Prefeitura de Várzea Branca) de Clayton Fábio , que tinham sido afixadas anteriormente.

De acordo com Eloisa da Silva, Idevaldo Ribeiro ficou a acusando de ter arrancado as fotos de Clayton Fábio que tinham sido coladas na fachada da casa no início de outubro.

Eloisa da Silva disse que não arrancou os cartazes de propaganda de Clayton Fábio da fachada de sua residência e o que tinha ocorrido foi uma chuva dias antes no povoado Monte Alegre e danificado e molhado os cartazes.

Eloisa da Silva falou que Idevaldo Ribeiro a agarrou e puxou pelo braço, quando sua irmã, Carliana da Silva Santos chamou o prefeito para conversar porque tinha lhe prometido lhe dar um dinheiro, mas ainda não tinha recebido.

Então, Eloisa da Silva recomendou  a sua irmã Carliana da Silva a não votar no candidato a prefeito apoiado por Edivaldo Ribeiro, Clayton Fábio. "Neste momento, Idevaldo investiu contra mim mais uma vez, bateu a mão no meu peito e me jogou contra a parede", relatou Eloisa da Silva.

Segundo Eloisa da Silva, neste momento, a primeira-dama, Francilene de Oliveira Santos, ficou perto dela massageando seu corpo e dizendo que "ele (Idevaldo Ribeiro) estava era com brincadeira". Eloisa dos Santos respondeu que aquilo não era brincadeira, não, e que aquilo não era coisa de se fazer com eleitor.

Depois, Francilene de Oliveira foi embora com o marido, o prefeito Idevaldo Ribeiro.