Quarta, 21 de Outubro de 2020 01:26
86 98195-2377
Piauí Coronavirus

Vacinação contra Covid-19 no Piauí será feita por agendamento, diz governador Wellington Dias

Governador disse que espera ter a logística de vacinação montada até outubro, para ser posta em prática quando houver uma vacina comprovadamente eficaz. Segundo governador, medida busca "evitar tumultos".

08/10/2020 20h04
Por: Redação Fonte: G1
Imagem: reprodução
Imagem: reprodução

O governador do Piauí Wellington Dias (PT) disse, em entrevista à TV Clube nesta quinta-feira (8), que a vacina contra a Covid-19 no Piauí deve ser distribuída através de agendamento, para evitar tumulto nos postos de vacinação. Wellington Dias afirmou que espera ter a logística de distribuição montada até outubro, para ser posta em prática quando houver uma vacina comprovadamente eficaz disponível.

“É possível fazer um agendamento como alguns países estão fazendo: a pessoa se cadastrou e ela vai naquele posto de saúde, naquele dia e horário fazer sua vacina. [Com] isso a gente evita tumulto. Estamos cobrando fortemente para que esse plano estratégico possa ser concluído ainda nesse mês de outubro”, explicou o Wellington Dias.

Ainda segundo o governador, devem ser vacinados primeiro os seguintes grupos prioritários: profissionais de saúde, idosos, pessoas com comorbidades, crianças, mulheres gravidas. Pessoas que ainda não foram infectadas com o coronavírus também podem ser priorizadas.

Vacina produzida no Nordeste

Segundo Wellington Dias, que é presidente do Consórcio Nordeste, as vacinas que serão distribuídas na região serão fabricadas no estado da Bahia. “O que o Brasil tem? Uma coisa que apenas cerca de 40 países têm: condições de produção da vacina. Tem em Salvador, que é onde o Nordeste escolheu para fazer os experimentos”, disse.

Segundo o governador, o Consórcio Nordeste defende que a produção e distribuição da vacina seja descentralizada, para ter um alcance maior. “Agora, o governo brasileiro fez uma primeira adesão a duas das vacinas, para fazer a compra nacional e aqui, internamente, fizemos essa estratégia de aplicação”.

Legado para a saúde

O governador Wellington Dias comentou que os esforços para equipar unidades de saúde espalhadas pelo estado com leitos de alta complexidade e Unidades de Terapia Intensiva (UTI) deixarão um “legado” para a saúde pública do estado. Segundo ele, o número de UTIs quase dobrou no estado, considerando os leitos das redes públicas e privadas.

Segundo o governador, antes da pandemia, havia condições de atendimentos de alta complexidade em Teresina, Parnaíba, Picos, Floriano e Piripiri. Agora, os atendimentos de alta complexidade podem ser feitos em Oeiras, São Raimundo Nonato, Bom Jesus, Uruçuí, Corrente, Curimatá, Valença, Paulistana, Esperantina, Luzilândia e Água Branca.

“Ou seja, fizemos uma expansão chegando a próximo de 30 regiões do estado. Adoeceu: terá aqui a condição de atendimento”, disse o governador.