Sexta, 30 de Outubro de 2020 01:39
86 98195-2377
Destaques Correios

Presidente do sindicato dos Correios afirma que categoria vai encerrar greve no Piauí

Os dias parados serão descontados na folha de pagamento dos trabalhadores

22/09/2020 23h09
Por: Redação Fonte: Portal AZ
Presidente do sindicato dos Correios afirma que categoria vai encerrar greve no Piauí (Foto: SINTECT-PI)
Presidente do sindicato dos Correios afirma que categoria vai encerrar greve no Piauí (Foto: SINTECT-PI)

O presidente do sindicato dos Correios no Piauí, Edilson Rodrigues, afirmou ao Portal AZ na tarde desta terça-feira (22), que uma assembleia marcada para ocorrer ainda hoje irá definir o fim da greve da categoria no estado. O sindicalista relatou que mesmo com a suspensão do movimento grevista, a classe não conseguiu avanços em suas reivindicações e por isso outro movimento poderá ser desencadeado em breve. 

“A categoria se reúne em assembleia geral para deliberar sobre a continuidade ou não do movimento, mas já sabemos que a tendência é que a greve seja encerrada, mesmo com as nossas lutas, a greve não tem nos rendido quase nada”, contou Edilson Rodrigues.

Ainda de acordo com o presidente do sindicato, a paralisação foi motivada pelo desacordo em relação ao dissídio coletivo de 2019 que segundo a categoria, não está sendo cumprido pela classe patronal. "Já tentamos negociar pedindo para que seja prorrogada a validade do ACT, mas nada foi resolvido. E agora o tribunal foi tomou uma decisão que não nos respeita”, explicou. 

Na segunda-feira (21), o Tribunal do Superior do Trabalho (TST) julgou o dissídio coletivo ingressado pelos Correios. A corte decidiu que manterá as cláusulas propostas pela empresa, entre elas vale alimentação/refeição, com a inclusão de outras cláusulas de caráter social. O tribunal também determinou a correção salarial em 2,6%.

Sobre os dias parados, foi decidido que metade do período será descontado em folha e a outra metade será compensada, a fim de beneficiar a sociedade, normalizando o mais rápido possível a entrega de cartas e encomendas.

Assim, o TST também determinou que os trabalhadores que aderiram ao movimento paredista retornem aos seus postos, nesta terça-feira (22), sob pena de multa diária de R$ 100 mil às entidades representativas, em caso de descumprimento.

Os Correios seguem executando o plano de continuidade do negócio, com a realização de mutirões de entrega, inclusive em fins de semana e feriados, com o objetivo de reduzir os efeitos da paralisação parcial dos empregados à população.