Domingo, 20 de Setembro de 2020 00:44
86 98195-2377
Política Escândalo

Justiça suspende festa ilegal programada pela prefeita de São Raimundo Nonato

Carmelita Castro é acusada pela oposição de propaganda eleitoral antecipada

10/09/2020 08h12
Por: Conteúdo enviado ao Portal SRN Fonte: André Pessoa - Especial Eleições 2020
Imagem: reprodução
Imagem: reprodução

Não durou muito tempo a escandalosa preparação para uma espécie de showmício durante a realização da convenção municipal dos partidos Progressistas (PP), do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e dos Trabalhadores (PT), nesta quinta-feira, 10 de setembro, na cidade de São Raimundo Nonato. 

No começo da noite anterior, na quarta-feira, a Justiça Eleitoral recomendou a suspensão do evento em praça pública. O Juiz Carlos Alberto Bezerra Chagas, da 13ª Zona Eleitoral do Piauí, determinou que os Diretórios Municipais dos partidos PP, MDB e PT, evitem realizar as suas convenções em bens de uso comum, especialmente ruas, avenidas e praças públicas, sob pena de configuração de propaganda eleitoral antecipada.

Caso a determinação judicial seja desrespeitada, foi estabelecida uma multa de R$ 100.000,00 (Cem mil reais), sem prejuízo de responsabilidade pelo delito tipificado no art. 347 do Código Eleitoral. 

A repercussão do caso teve início quando uma empresa especializada em eventos começou a montagem de uma grande estrutura na Praça do Abrigo, centro nevrálgico, comercial e político da cidade de São Raimundo Nonato. Durante o dia muitos funcionários da Prefeitura e correligionários de Carmelita estiveram presentes observando a montagem de uma espécie de palanque, Logo em seguida os comentários começaram a pipocar nos grupos de WhatsApp e nas redes sociais. 

Todos se perguntavam se aconteceria um grande show na cidade ou alguma apresentação cultural. Alguns mais informados diziam: “isso é coisa de política”. Logo ficou claro que tratava-se de uma estrutura para receber a convenção dos partidos ligados a prefeita Carmelita Castro.

Abuso 

Desnecessário dizer que configurava uma clara tentativa de abuso de poder econômico, de propaganda política antecipada, de uso de um espaço público contra as determinações da legislação eleitoral.

Um desrespeito com a Lei e com a própria população. Pior, um verdadeiro tiro nos moradores do município. Na legislação brasileira existe um dispositivo que tipifica e enquadra como crime disseminar doença contagiosa. Em pleno auge da Covid-19 na microrregião, e com a cidade de São Raimundo Nonato vivendo um aumento expressivo dos casos positivos que já ultrapassam 1.000 contaminados, autorizar esse “comício” seria uma irresponsabilidade.

Repetição de erros 

Cassada pela Justiça Eleitoral por abuso de poder econômico e político em 2019, e absolvida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI), num julgamento que terminou 4x3, no último mês de maio, Carmelita de Castro Silva, 52 anos, filiada ao Progressistas e candidata à reeleição, vive dias de muita tensão, perdas de apoio político e inúmeros problemas internos. 

O atual vice prefeito, Beto Macêdo, PT, por exemplo, foi preterido pelo candidato Rogério Castro do MDB, para ser o vice na chapa pela reeleição de Carmelita Castro, e terminou ameaçando deixar o grupo político causando ainda mais tensão na candidatura da situação. 

Outro representante do PT, apontado pelo diretório municipal do partido como o nome para vice na chapa de Carmelita Castro, vereadora Ana Dias, passou a sofrer injurias e agressões nas redes sociais pelos próprios correligionários da prefeita. O caso se transformou em outro enorme problema na campanha pela reeleição da representante das irmãs Castro. 

Na semana passada a sua campanha já tinha sofrido uma baixa sem tamanho. Um dos políticos locais mais cotados para ser vice da chapa da prefeita, conhecido como Capitão Ivonaldo, apontado inclusive como um provável cabeça de chapa nas eleições de novembro próximo, decidiu apoiar a candidatura da oposição representada pelo ex-prefeito Avelar Ferreira, do PSD, que nitidamente vem se aproximando percentualmente em intenção de votos da atual prefeita. 

Enrolada 

No interior do Nordeste costuma se dizer que uma campanha eleitoral quando começa com problemas segue assim até o fim. O ditado popular parece se encaixar perfeitamente com o caso de São Raimundo Nonato e a tentativa de reeleição de Carmelita Castro. 

Apesar de toda a estrutura governamental da Prefeitura de São Raimundo Nonato, do apoio escancarado de diversos órgãos do Governo do Estado, de funcionários públicos e ocupantes de cargos de confiança, além de todo o poder econômico e político, facilmente comprovável com a tentativa de um showmício em praça pública em plena pandemia, Carmelita Castro parece não aprender com os erros do passado e paga o preço pelos seus pecados.

Na semana passada ela já tinha sido a protagonista de uma reunião que terminou ficando conhecida como a “Festa do DAS”.

Na ocasião, centena de pessoas, grande parte delas ligada direta ou indiretamente a atual gestão, se aglomeraram em sua casa para assistir o anúncio do nome de Rogério Castro como vice na chapa pela reeleição. O abuso teve enorme repercussão em todo o estado e deve motivar ações na Justiça Eleitoral.