Terça, 25 de Junho de 2024
20°C 35°C
São Raimundo Nonato, PI
Publicidade

Prejuízos por seca são os maiores no país, e danos chegam a R$ 391 bilhões em 24 anos

Só nesta década, quase 25 milhões de pessoas já foram afetadas por secas, o que equivalente a cerca de seis vezes mais que por cheias

02/06/2024 às 10h50
Por: Portal SRN Fonte: Com informações do R7
Compartilhe:
Imagem: Reprodução
Imagem: Reprodução

Por 24 anos, a estiagem e a seca foram os desastres climatológicos que mais afetaram e causaram prejuízos no Brasil. Entre 2000 e 2023, os fenômenos geraram danos de ao menos R$ 359 bilhões no setor privado e de R$ 32 bilhões na área pública, totalizando R$ 391 bilhões, além de atingir 110 milhões de brasileiros, segundo um levantamento feito pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. Segundo os números, o prejuízo anual pela falta de chuva é estimado de R$ 16 bilhões. Rio Grande do Sul, Ceará, Mato Grosso, Bahia e Paraíba estão entre os estados mais afetados.

O levantamento mostra que, no setor privado, a agricultura foi a área com maiores prejuízos, chegando a R$ 258 bilhões no período. Ainda no agronegócio, a pecuária também registrou danos consideráveis, com R$ 84 bilhões. No Brasil, o setor representa aproximadamente 25% do PIB (Produto Interno Bruto) — a soma de todos os bens e serviços finais produzidos pelo país.

Em relação ao prejuízo público, o abastecimento de água foi o mais afetado, registrando um rombo de R$ 30 bilhões, o equivalente a 94,44% de todo o dano do governo. Em alguns anos, o levantamento não incluiu informações de todos os estados. Dessa forma, podem existir danos que não foram calculados.

No Rio Grande do Sul, por exemplo, entre 2003 a 2021, a região enfrentou de oito a dez períodos de estiagem, segundo a Emprapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). Apenas em 2023, o estado calculou perdas de ao menos R$ 1,83 bilhão na agricultura.

Continua após a publicidade

Apesar de semelhantes, a estiagem e a seca são fenômenos climáticos de diferentes intensidades. Segundo a Defesa Civil, a estiagem é caracterizada por um período prolongado de baixo ou nenhum registro de chuva. Já a seca é um período de estiagem prolongada que acaba causando um desequilíbrio hidrológico.

Seca extrema

Entre 2020 e 2022, aproximadamente 25 milhões de pessoas foram afetadas por secas e estiagens no Brasil, cerca de seis vezes do que o número de afetados por cheias, informou a ANA (Agência Nacional de Águas).

No início da semana passada, dez municípios de seis estados do Nordeste que passam por estiagem tiveram a situação de emergência reconhecida pelo governo federal. Entre as cidades estão Maravilha (AL), Araci (BA), Jucati (PE), Curral Novo do Piauí (PI) e Nova Cruz (RN).

Apenas em 2023, 942 municípios no Nordeste tiveram os pedidos de situação de emergência reconhecidos pelo governo federal. O índice representa uma redução de 13% em relação a 2022, quando 1.089 reconhecimentos foram realizados.

Em situações de seca extrema, algumas regiões precisam recorrer ao abastecimento emergencial de carros-pipa. De acordo com a ANA, apesar da redução em 2022, o governo federal registrou, em média, os pedidos de 443 municípios por mês no ano, tendo desembolsado R$ 598 milhões para enfrentar o quadro.

Amazônia

Em contraste com o clima habitual, há alguns anos a região amazônica vem enfrentando períodos de seca. No ano passado, por exemplo, apenas o estado do Amazonas registrou 17.691 focos de calor em dez meses.

Além das secas em 2005, 2010 e 2015/2016, no ano passado a Amazônia voltou a registrar mudanças no clima. De acordo com o Ministério da Ciência e Tecnologia, a seca em 2023 reduziu o volume dos rios para níveis mínimos em mais de 120 anos de medição. O fenômeno causou impactos diretos na população ribeirinha, que enfrentou dificuldades para se locomover devido à seca nos rios.

A seca do ano passado foi considerada uma das piores da história, causando prejuízos como a falta de acesso à água potável, interrupções na produção agrícola e mortalidade de peixes.

Dados do Monitor de Secas, programa que acompanha periodicamente a situação do fenômeno no país, apontam uma permanência da condição em alguns estados da Amazônia Legal, entre eles Amapá e Acre.

Na comparação entre março e abril deste ano, os estados registraram o aumento da área com seca. A análise ainda aponta que Amazonas e Roraima registraram o evento em 100% do território.

São Raimundo Nonato, PI
34°
Tempo nublado

Mín. 20° Máx. 35°

32° Sensação
2.44km/h Vento
22% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h05 Nascer do sol
05h41 Pôr do sol
Qua 35° 21°
Qui 35° 21°
Sex 35° 21°
Sáb 35° 20°
Dom 35° 19°
Atualizado às 13h06
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,45 +1,03%
Euro
R$ 5,83 +0,79%
Peso Argentino
R$ 0,01 +1,49%
Bitcoin
R$ 355,743,31 +3,13%
Ibovespa
122,116,57 pts -0.42%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade